Selic a 2%: como isso pode afetar a sua vida?

Taxa é usada como medida de cálculo para juros de cheque especial, crediário, cartão de crédito, poupança e financiamentos

Em reunião desta última quarta-feira (5), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) reduziu a Selic de 2,25% para 2%. Esse é a nona redução seguida e, com ela, a taxa registrou o menor índice desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986.

O que isso significa?

A Selic é usada pelas instituições financeiras como medida de cálculo para as taxas de juros utilizadas no cheque especial, no crediário, no cartão de crédito, na poupança e nos financiamentos, entre outros.

A intenção do Banco Central é que, com essa medida, mais pessoas possam ter acesso a crédito, conseguir financiamento e aquecer a economia. Isso porque os bancos passam a ter mais dinheiro, com um menor custo de operação e, por isso, tendem a baixar as taxas de juros.

No entanto, ainda é importante levar em conta que os bancos e financeiras acrescentam outros custos nas taxas de juros cobrados nas operações, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), a inadimplência, o lucro destas instituições, entre outros fatores, o que pode fazer com que essa redução chegue com menos intensidade ao consumidor final.

O que muda na sua vida?

Mais crédito

Se as taxas de juros para operações de crédito descem, por um lado, as condições para conseguir empréstimo e os juros do cartão de crédito, por exemplo, ficam um pouco mais leves.

Pagamento de dívidas

Se você tem uma dívida, pode ser um bom momento para consultar as condições de outras instituições financeiras e, se houver vantagem nas taxas de juros, solicitar a transferência da dívida (a chamada portabilidade do crédito), se for possível.

Emprego

Por outro lado, os empresários também ganham mais condições de conseguir crédito, e, a partir disso, investir dinheiro em seus negócios, o que pode causar impacto positivo nos níveis de desemprego. Se isso acontece, os níveis de consumo tendem a crescer graças ao aumento na capacidade de compra da população e a economia é aquecida.