O que é e como funciona a Taxa Selic

Variações da Selic influenciam todas as taxas de juros do País e têm grande impacto sobre o cenário econômico brasileiro

A Selic é a taxa básica de juros fixada para todo o País pelo Banco Central. Essa taxa é usada como a principal forma de controle da inflação na economia e afeta todas as taxas de juros do Brasil, desde empréstimos e financiamentos até poupanças e aplicações financeiras.

De onde surgiu o nome Selic?

O nome Selic vem da sigla Sistema Especial de Liquidação e de Custódia, que, por sua vez, trata-se de uma infraestrutura do mercado financeiro administrada pelo Banco Central. Nela, ocorrem as transações de títulos públicos federais. A Selic, na prática, é a média da taxa de juros apurada em um dia entre os bancos que usam títulos federais como garantia.

O Banco Central age no mercado de forma que essa taxa esteja ajustada à meta Selic definida nas reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), que acontece a cada 45 dias.

Quais são os efeitos causados pela alteração da Selic?

A cada vez que a taxa Selic é alterada, os títulos públicos associados a ela também se alteram e o custo de captação dos bancos muda. Dessa forma, quando a taxa Selic é reduzida, por exemplo, este custo de captação também cai e, com isso, os juros cobrados por estas instituições tendem a descer. Tomar dinheiro emprestado nessa época, por exemplo, fica mais barato.

De forma inversa, quando a taxa Selic sobe, há menos dinheiro disponível e os juros cobrados em operações de empréstimo, crédito e financiamento sobem. Consequentemente, isso desfavorece o consumo, os preços caem e há um favorecimento à queda da inflação.

Saiba mais

No site do Banco Central, você pode encontrar mais informações sobre o Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), o histórico da meta Selic e os seus dados diários.