Como acabar com o desânimo da segunda-feira

Especialista fala sobre os motivos que deixam as pessoas insatisfeitas com suas carreiras


Se na sexta-feira seu estado é de euforia e no domingo a noite a tristeza toma conta, é chegado o momento de analisar como você está levando sua vida profissional. De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), realizada em 2015, a insatisfação com o trabalho atinge 70% dos brasileiros. O levantamento aponta, ainda, que 65% não fazem o que gostam e 68% dizem se sentir desnorteados por não terem o reconhecimento que julgam justo por parte dos chefes.

Para a especialista em carreira da Intentus, Lilian Sanches, as pessoas estão buscando respostas para a infelicidade e tristeza que prevalece aos finais de domingo. “A segunda-feira tornou-se uma tortura para muitos. E esse dia da semana não tem nada a ver com o seu sofrimento, ele é um dia como outro qualquer”, avalia a especialista.

Sobre os motivos para que o início da semana seja sofrido para muitos, a especialista informa que a resposta está no que a pessoa faz, no que realiza, gerando um fardo. “Eu mesma tive segundas-feiras muito difíceis em que não gostava de acordar e ter que ir trabalhar.Tudo era pesado”, diz.

A especialista também diz que é natural a pessoa compensar uma semana difícil com uma agenda cheia de atividades para os dias em que não está trabalhando. “É um meio de sentir alegria e satisfação, uma fuga da vida real e compensação para o sofrimento semanal. Porém isso pode resultar em gastos desnecessários e aumento do stress”, relata.

Segundo Lilian Sanches, o primeiro passo para transformar a segunda-feira em um dia prazeroso é identificar a causa da infelicidade. A especialista diz que, para muitos, é o fato de estar trabalhando onde não gosta, fazendo algo que não traz prazer ou satisfação, tornando o trabalho obrigação. Mas há outros casos e cada um pode identificar qual o motivo da sua frustração.

“Por exemplo, muitas mães tem o sofrimento de segunda-feira devido ao fato de terem que deixar o filho na escola e só pegá-lo ao final do dia e, muitas vezes, ele já estar dormindo. Ela não consegue interagir com seu filho. Essas mães até gostam do seu trabalho e das atividades que realizam, mas percebem que o trabalho está tirando o tempo de outras atividades que são fundamentais para ela. Pais também passam por isso, principalmente, os que precisam estender o horário de trabalho ou constantemente viajar”, avalia.

Para Lilian, é importante identificar, também, se essa insatisfação é com algo geral ou algo muito específico. Ela exemplifica como algo específico o fato de não gostar do chefe, do ambiente, dos colegas ou do local de trabalho. “É importante identificar se você está infeliz com o todo ou só com uma parte, situação ou pessoa no seu dia a dia. Muitas vezes, quando estamos no meio do furacão, não conseguimos ver do lado de fora. Não conseguimos enxergar a situação como ela realmente é”, ressalta.

A coach e especialista em carreira também afirma que, em geral, as pessoas acabam seguindo muitas coisas por padrão e fazendo-as por repetição, sem fazer o diagnóstico necessário para cada situação. Ela recomenda parar e olhar para a sua vida e ações a fim de entender o que é importante hoje e o que está sendo deixado de lado, e assim, buscar mais harmonia entre sua carreira, sua vida e seus sonhos.

Tags: carreira qualidade de vida segunda-feira stress trabalho

Veja mais