Afinal, o que é a taxa Selic e qual impacto no seu dia a dia?

Entenda o significado que está sempre no noticiário e como ele está diretamente relacionado às suas finanças


Basta ligar a televisão, ouvir rádio ou acessar as notícias pela internet que, vez por outra, ela aparece lá. Mensalmente, o Comitê de Política Monetária (Copom) anuncia o índice da taxa básica de juros da economia, Taxa Selic, para os íntimos.

Se você não sabe o que isso significa, este artigo vai explicar tudo direitinho e mostrar porque esse índice é tão importante para o país e afeta a vida de todos brasileiros.

Antes de continuar, quer saber a quantas anda a Taxa Selic? Basta clicar aqui para ter acesso ao histórico da taxas de juros fixas pelo Copom.

O que é Selic?
É a taxa referencial da economia, parâmetro para as outras taxas praticadas pelo mercado, por isso influencia a rentabilidade de investimentos e juros cobrados em financiamentos e na concessão de crédito. A Selic também é o instrumento de política monetária do Banco Central (BC) para controlar a inflação. Quando os preços estão em alta, os juros sobem. Quando caem, as taxas diminuem.


Como ela afeta o mercado?
A taxa Selic orienta todas as outras taxas de juros da economia: do cheque especial, do crediário, dos cartões de crédito e até o rendimento da poupança. Quando a Selic baixa, a rentabilidade dos títulos também fica menor. Em outras palavras:  se o Banco Central reduz as taxa básica de juros, ele diminui a rentabilidade das aplicações em renda fixa pós-fixadas, que são lastreadas nesses títulos e, portanto, acompanham a variação da poupança.
 

Nem a poupança escapa da Taxa Selic:
A aplicação “queridinha dos brasileiros” tem a sua rentabilidade atrelada a Selic. A regra é assim, sempre que a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança vair render 6% a.a + TR (ou 0,5% ao mês + TR). Se a taxa estiver abaixo de 8,5% ao ano, a poupança vai render 70% da Selic.


Como os juros baixos beneficiam os consumidores?

  • Uma redução dos juros, em geral, leva a queda das taxas de captação dos bancos e demais instituições financeiras que teriam condições de cobrar menos pelos empréstimos. Porém, outras variáveis estão envolvidas na definição das taxas dos financiamentos, como por exemplo, a inadimplência, os impostos cobrados, a margem de lucro e outros fatores.
     
  • Juros mais baixos têm potencial para alavancar a economia, ao estimular o consumo e investimentos. As operações de crédito ficam mais baratas e os bancos se dispõem a tomar risco com empréstimos.
     
  • Quando os juros estão mais baixos, também é hora dos endividados renegociarem suas dívidas ou trocar por outras linhas de crédito.

A origem do nome:
Selic é a sigla do Sistema Especial de Liquidação e Custódia. É o sistema computadorizado do Banco Central ao qual apenas as instituições credenciadas no mercado financeiro têm acesso. Sua função é dar liquidez aos negócios, assim como às compensações bancárias. Em tempo real, transfere o título para o comprador e credita o valor na conta do vendedor. O Selic também monitora as reservas financeiras dos bancos.

Como a taxa Selic é calculada?
Para fins de cálculo, são considerados os financiamentos diários relativos às operações registradas e liquidadas no próprio Selic e em sistemas operados por câmaras ou prestadores de serviços de compensação e de liquidação (art. 1° da Circular n° 2.900, de 24 de junho de 1999, com a alteração introduzida pelo art. 1° da Circular n° 3.119, de 18 de abril de 2002).

Tags: economia investimentos juros mercado Taxa Selic

Veja mais